Skip to content

AMIZADE BOA

por

Llysanias Pinho

Definir amizade depende do ponto de vista de cada um. De cada experiência, de cada convívio em cada momento!

Geralmente são momentos  inesquecíveis!

Pode ser daquela turma do colégio, trabalho, clube; das aulas de dança, dos cafés da manhã.

Amigo do amigo. Amigo do namorado. Amigo da esposa. Amiga da minha mãe, avó…

Amigos falsos, entre aspas, verdadeiros,  amigos da onça…

Da ativa…

Esses amigos da ativa não são responsáveis pelo fato de eu ser um dependente químico.

É preciso entender que não dá para freqüentar ou ter sucessivos encontros com aquela mesma turma.

Estou sendo coerente.

O que se diz sobre as amizades antigas no ambiente de recuperação é definitivamente simples e objetivo: ‘’se afastar’’;  ‘’não andar junto’’; ‘’tomar distância’’ etc.

Mas muitos adictos permanecem com esses vínculos por não terem se conscientizado à respeito dos  riscos  que esses vínculos oferecem.

E não por conta da responsabilidade desses amigos, mas por própria responsabilidade pela recuperação.

Ambientes são desfavoráveis num aspecto geral.

Mas ambientes como bares, bebidas, festas, jogos, cantinas e até mesmo um jantar romântico; podem  ser desastrosos.

E põe desastroso nisso!

Não estou afirmando que não se pode ir a uma festa.

A um clube ou associação. Casamento, batizado  ou aniversário!!

Refiro-me aos cuidados que se  deve ter a partir de agora com as pessoas que irá se relacionar mais profundamente.

Pense comigo: ‘’só  dependente químico tem que ter cuidado com algumas escolhas para amizades durante sua vida?

Evidentemente não!

Amigo pode ser fiel. Pode ser intimo e deve ser companheiro também. Nestes momentos mais ainda!

Raramente os centros de tratamento recebem visitas de pessoas que sejam amigos dos dependentes que ali se encontram em tratamento.

Por questão de regras do local ( a maioria ); ou então porque esses amigos só participavam dos encontros onde havia drogas! Ou muita bebida. Mas e os amigos que não são dependentes químicos?  Que podem muito bem serem  aqueles que conviviam em casa, inclusive com amizade dos  pais?

E daqui pra frente?

De que forma saber quais serão  amigos ou então aqueles que devem permanecer com  amizade?

Não podemos julgar, nem sabemos; mas temos bases importantes para orientar nossos filhos e sabemos muitas coisas sobre amigos, mas como resolver nossos medos mais secretos que se embasam em experiências frustrantes das quais tivemos ou temos em relação às amizades?

Parece que ‘’o caldo começa a engrossar’’ não é mesmo?

Saber quem são nossos amigos faz parte de nossas escolhas, percepções, visões e conhecimentos. Da mesma forma muitos de nós tentaremos orientar nossos filhos, netos e olha só; nossos  amigos…!

Sabe-se que em alguns casos levam-se anos para levar uma ‘’punhalada pelas costas’’ e saber que o autor de tal golpe mortal, nunca foi nosso amigo!

 E amigo de ninguém.

Querer ajudar amigos que estejam no uso para um dependente químico que esta em recuperação, principalmente no inicio desta recuperação  é uma questão de ajuda máxima, de honra, de bondade e compressão!!

Mas muitos dependentes químicos o fazem por teimosia…

Adivinha qual chance disso dar certo?

As mínimas possíveis…

Ao dependente químico resta aceitar. Ao familiar não questionar.

Ao amigo saber que; se realmente é amigo, vai estar ao lado, apoiará.

Não terá medo de encarar os pais no momento que o fundo de poço ‘’aparecer’’!

Será compreensivo ate mesmo caso o indivíduo; após sair de um tratamento bem orientado; quiser afastar-se um pouco, ou muito; talvez para sempre daqueles que ele assim optar.

E tentar compreender.

Dependência química é uma droga!

Capaz de fazer os pais pedirem ou orientarem os filhos principalmente durante a adolescência; para não andar com ‘’este’’ ou ‘’aquele’’ sujeito.

Exatamente como pais dos outros  amigos, solicitam seus filhos também.

As pessoas em si têm amigos!

Geralmente esses vínculos são formados, pela simplicidade e humildade. Pelo fato de amar e respeitar.

Pelo fato de reconhecer o quanto sou amigo.

E a partir das escolhas feitas, manterem-se feliz, pois; ninguém é obrigado a ter amigos.

E nos ter como amigos.

E o que vale no fim de tudo; é daqui para frente.

Alguns amigos não aparecerão mais às nossas vistas.

Outros zombarão!

Alguns cobrarão. Outros irão se afastar de nós.

E precisaremos de novos amigos.

Principalmente deles. Desde que saibamos que a espiritualidade também nesse aspecto; é fundamental!

E saber que ser amigo ou ter amigos, tem limites.

Como tudo na vida!

Related Posts

There are no related posts on this entry.

Comments

There are no comments on this entry.

Trackbacks

There are no trackbacks on this entry.

Add a Comment

Optional

Optional