Skip to content

CONSCIENTIZAR É MAIS DO QUE FALAR SOBRE O DODÓI QUE A DEPENDÊNCIA QUÍMICA CAUSA!

por

Llysanias Pinho

Especialmente aos adictos, alcoólicos que conhecem os temas e assuntos ligados à dependência química…Pensemos:

O dependente químico tem o vício de uso de drogas. O alcoólico com o álcool ( lê-se álcool puro/zulu mesmo ).
No cleptomaníaco não há um traço identificável fora do descontrole em si mesmo, ou seja, não é possível identificar o cleptomaníaco antes dele adquirir objetos.
Após o roubo o paciente reconhece o erro do seu gesto. Não consegue entender porque fez e nem porque não conseguiu evitar, fica envergonhado e esconde isso de todos.
Conforme definição do Código Penal brasileiro:
FURTO:
Art. 155 – Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia ou móvel.
Pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa.

ROUBO:
Art. 157 – Subtrair coisa móvel ou alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência.
Pena – reclusão, de quatro a dez anos, e multa.
A diferença entre os dois é que no roubo há grave ameaça ou violência contra a vítima.
( famoso assalto a mão armada ).

TRÁFICO DE DROGAS é o tráfico de substâncias ilícitas, entorpecentes.
No Brasil, a lei n. 11.343/06 de 23 de agosto de 2006 instituiu o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre tráfico – SISNAD prescreve medidas para a prevenção do uso indevido, atenção e reinserção social de usuários e dependentes de drogas, estabelece normas para repressão à produção não autorizada e ao tráfico ilícito de drogas, define crimes e dá outra providência.
Art. – 33 – importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização, ou em desacordo com determinação legal,ou regulamentar.
Pena – reclusão de 5 a 15 anos e pagamento de 500 a 1.500 dias – multa.

Tudo isso junto a realidade que é viver no sistema carcerário.
Mais a marca que isso irá estar junto em sua vida onde quer que você vá.
Juntemos também os transtornos mentais que se adquire e de comportamento.
A espiritualidade macabra, sinistra e tenebrosa que o uso envolve o dependente.
Vamos indo, indo, indo………..
Aonde chegaremos?

Muito provavelmente, o que acontece aqui na Terra, pode ser pouco, perto do que acontece após nossa partida deste mundo, se não nos cuidarmos em relação ao uso e tráfico de drogas. ( Foi o que sempre aprendi em relação à religião/espiritualidade e crenças ).
Não vou ‘’meter o bico’’ onde não sou chamado, mas posso suscitar reflexões em você, meu caro leitor, sobre cada tema citado acima.
Sem procurar culpados, com menos hipocrisia e maior atuação social e não só política, cada indivíduo atuando em sua área profissional, bem como melhorias na segurança pública e elaboração de projetos sociais, conseguiremos sair dessa condição estática. Contribuir para que a informação se estenda ao maior número de cidadãos e pensar numa melhor atuação nos trabalhos referentes à prevenção ao uso, abuso e a doença da dependência química é o nosso papel!

Para onde vamos?

Aos adictos e alcoólicos que conhecem a dependência química eu indago:
Será que através do reconhecimento da doença, o seu tratamento e apoio, mais o apoio familiar, e o reconhecimento de seus valores, o dependente químico irá continuar contribuindo para a evolução do caos usando drogas?
A responsabilidade do dependente químico baseia-se na simplicidade em não usar mais drogas e, prossigo; apoiar aqueles que estão sofrendo com essa problemática cuidando de sua própria doença.
Se não dá para ter consciência disso, como ser solidário?

About the Author

Psicóloga técnica da clinica Lysanias Paramitas Psicologia e saúde

Related Posts

Comments

There are no comments on this entry.

Trackbacks

There are no trackbacks on this entry.

Add a Comment

Optional

Optional