Skip to content

PREVENÇÃO X TRATAMENTO

PREVENIR X TRATAR
Com todas as modalidades de tratamentos, desde as anônimas e gratuitas, religiosas ou não, desde processos de tratamentos medicamentosos, psicoterapêuticos existentes e atento a diversos resultados obtidos nesses diversos tratamentos oferecidos, para diversas substâncias psicoativas em diversos lugares do mundo, por diversos tipos de usuários, sempre constata-se no final uma realidade: ´´ depende da pessoa…´´
Em alguns casos julgam que ´´ depende ´da´ pessoa querer…´´ termo muito popular!
E defendo as pessoas que assim são julgadas, pois não se sabe o que se quer; no quadro de um adicto no fundo de poço; seja qual for a compulsão.
É em gera, um quadro de confusão perturbadora, caótica; fica evidentemente claro que a pessoa entregue a essa compulsão, não está em condições de fato em decidir quase tudo em sua vida.
Se deve se cuidar ou não!
Muitas pessoas sabem disso, muitas pessoas podem confirmar.
Não é brincadeira…
Fala-se cada dia menos em prevenção, cada dia mais em liberação.
A sociedade como um todo!
Ninguém é perfeito, mas poderíamos falar sobre assuntos importantes como a experimentação do uso de drogas entre nossas vidas, pois é o que vem ocorrendo cada vez mais em nosso cotidiano.
E no cotidiano de todo mundo poxa, nossos filhos, adolescentes, idosos, volto a dizer aumenta o número de pessoas que experimentam maconha com idade acima de 30, 40 anos.
E até 50.
Será verdade isso mesmo?
Acredito piamente que sim! Está em nosso cotidiano.
Desde adolescentes até o mais adulto, ou o mais velho.
O quadro presente da vida desgraçada pelo crack por exemplo, é um quadro confuso até para falar, já que não é bom nem ficar comentando.
Mas sabemos todos que ali tem que ter uma melhora!
E em nossa simples opinião, como em qualquer caso de saúde, no caso saúde pública; tendo em vista as verbas destinadas a esses cuidados, etc.
Seria melhor se cumpríssemos o que sabemos ou seja; uma pessoa que necessita de cuidados assim: deve ser medicada.
Trata-se isso em hospital!
Alimentação, medicação, desintoxicação, abordagem, entrevista, triagem, acomodação, sensibilização, e todos os itens necessários e importantes na saúde de um indivíduo, não deve ser considerado?
Qual o prejuízo e o que contabiliza nos casos não satisfatórios?
Quanto custa isso para a sociedade em geral?
Devemos mesmo seguir garimpando pessoas nas praças aterrorizantes e nas ruas dominadas por esse demônio chamado crack; devemos mesmo seguir enclausurando? Raptando? Aprisionando essas pessoas?
Então cuidado é isso?
Talvez não devíamos permitir deixar chegar onde chegou; o abuso dessa infernal substância?
Dar emprego?
Contradições.
Mas isso não é culpa apenas desses pais.
Isso é assim, sempre existiu e sempre haverá de existir?
Não é mesmo?
Sabiam que a maioria das pessoas reféns do crack, nos cantos que usam as drogas por aí; sabiam que a maioria começou fumando um baseadinho?
Espertão!
É desanimador ter que ter certas reflexões….
Mas é a vida. Minha missão!!?
O crack substitui a cola, que substitui o álcool, que não substitui…Nenhuma dessas substâncias substitui os valores da dignidade, do caráter, da responsabilidade, dos afetos, do carinho, do amor próprio, da honra, da moral e da ordem, do civismo, da educação, do conhecimento, do respeito e da amizade, da auto estima, do reconhecimento, dos valores próprios, da ética e da índole e de tudo que cremos, seja alma, psique ou espirito mas que seja nossa realidade bem aceita!
Nada substitui tudo isso e mais um pouco!
Para poder ser diferente e requerer nossas atenções e ações para de fato uma mudança em nossas relações, daí provavelmente; em nossa sociedade!
Atentemos às reflexões sempre!
Ou não….eu vou…
Lysanias Pinho

About the Author

Psicóloga técnica da clinica Lysanias Paramitas Psicologia e saúde

Related Posts

Comments

There are no comments on this entry.

Trackbacks

There are no trackbacks on this entry.

Add a Comment

Optional

Optional