Skip to content

PREVENIR, PRECAVER E ORIENTAR!

Por todos esses anos a preocupação com os vícios em nosso dia a dia tem sido motivo propulsor de nossos estudos, tantas pesquisas e outros tantos trabalhos.
Caminhando pelos espaços da Prevenção (e a nossa adoção do termo Precaução), permite-nos mais abertamente e com responsabilidade, procurar entender tais vícios e compulsões mais profundamente!
E assim galgamos sempre pelo caminho do crescimento de forma geral.
E temos trabalhado e pensado em como deter, cercear esse número crescente, de indivíduos que experimentam álcool e drogas.
Fica difícil tentar entender muito, ou querer até mesmo aprofundar demais em determinadas questões pois, o número de substâncias psicoativas também cresce!
Então laboratórios caseiros e clandestinos, com bastante química e pessoas com algum conhecimento propiciam a fabricação e todo o tramite que uma droga necessita para ser comercializada, consumida.
E cada vez mais nossos jovenzinhos que frequentam baladas, festas e tudo o mais, tem se visto sempre bem próximo, bem de perto dessa situação.
É comum em algumas destas festinhas, destes eventos, que um ou outro jovem, senão vários deles, estarem portando ou consumindo algum tipo de droga, algum tipo de bebida alcoólica. Em geral acompanhada por energéticos.
É notório a total embriaguez.
Muitas vezes ilustrada pela intolerância dos pais nessa própria festa, nesse próprio evento.
E tolerância demasiada de outros!
Ou, não aparece nenhuma represália, nenhuma advertência ao grupo; ou em geral aos responsáveis por essa ´´festa´´.
Sempre as drogas caminharam por onde caminham até os dias de hoje.
Nossos caminhos sociais é que se perderam.
Precisamos entender que falta que fazemos como pais a estes jovens…?
Ou de que eles necessitam na vida para sorrir, para viver?
Devíamos atentar mais para a adolescência; a idade da obstrução de si mesmo e/ou da descoberta de sí próprio…. Conflitos naturais!
Fase em que podemos com atenção, começar nosso processo de amadurecimento e de maturidade. Maturação!
Convenhamos que como pais, nossas carências emocionais muitas vezes levam tudo por agua abaixo.
E assim muitos de nós creem mesmo poder evitar que um filho passe por esse ou aquele ensinamento.
Filho é filho!
Sustentá-los e vê-los ficar grande não significa crescer.
Conforme o julgo de cada um, sabemos que na homogeneidade, na socialização, na vida social precisamos nos relacionar um com o outro.
E para tal, até mesmo na cadeia existem condutas.
Se te assusta esse termo, pense na cadeia das relações…no nível intelectual que possui!
Ou que não possui.
Respeito, moral e ética existiram justamente para que; junto com o civismo e valores próprios como a dignidade, pudessem serem mantidas e conservadas. Adquiridas e vivenciadas.
Por isso existe o certo e o errado. Regras.
Disciplina, limites …e a liberdade.
Também existe o perfeccionismo é eu sei, mas errar continua sendo humano.
E o perfeccionismo atrapalha pela ansiedade que causa, e pelo engano que faz em acreditar de que a maneira com que uma pessoa pensa seja mais correta, do que a maneira que uma outra possa pensar!
Precisamos aprender mais sobre dividir.
E até mesmo multiplicar. Mas para tal precisamos da escola.
Da escola e do professor.
E de quem limpa a sala de aula…
De quem conserta a luz, fabrica a lousa…giz.
Precisamos reconhecer mais e sair desta mania besta de seguir tudo o que a mídia fala, ou promove.
Longe da religião e mais perto de noticiários péssimos, ruins…. Nossas reações ficam reféns de pensamentos desistentes, desmotivadores…ora lembremos do mundo real!
Da realidade.
Até para lidar com o que se crê.
E no que se crê?
Desejo a todos um bom final de semana, e sinto a necessidade em alertar mais ainda sobre os tais experimentos, ´´ o uso recreativo´´.
A primeira vez.
Cuidado jovem, adolescente; em geral a primeira vez é boa….
Em geral a segunda vez também é boa…
O problema é que se alguém vicia O GOSTOSO PASSA A SER AMARGO!
E assim, até mesmo quando as vezes não forem boas, mas movido pela escravidão dos vícios; fará uso desses instrumentos, dessas substâncias pelo vício que possui, ou que adquiriu.
O amargo da própria vida, da vida alheia e da vida toda…
Beber para que?
Em entrevistas e palestras, sempre nos referimos sobre a contenção de uso principalmente do álcool em qualquer lugar do mundo.
Existem lugares para beber e lugares que não se admite beber.
Existem regras, multas, punições em todo o mundo.
De certa forma um controle!
Penso nisso…
Perceber que nosso consumo é exagerado.
Consciência; que dever ser fortalecida nas escolas e nas famílias….
Sem radicalismo.
Sem preconceitos e sem terrorismo, fanatismo ou falsa impressão.
Lembremos, jovens têm consumido bebidas alcoólicas mais cedo.
É verdade.
Porque?
E, o que conversamos sobre isso?
Pensemos mais….
Dialogue com seu filho!
Converse e participe da vida dele mesmo sendo um pai chato.
Os carinhos e a atenção que lhe dará, trarão, em algum momento, um tipo de reconhecimento que fará a ´´chatice´´ desaparecer, não temas!
Confie.
E aproveite para também ser um bom filho!
Socialize-se respeitando o espaço do outro que assim será com o teu.
E se não for, aceite!
Essa é provavelmente a sua parte!
Bom final de semana a todos!
Lysanias Pinho

About the Author

Psicóloga técnica da clinica Lysanias Paramitas Psicologia e saúde

Related Posts

Comments

There are no comments on this entry.

Trackbacks

There are no trackbacks on this entry.

Add a Comment

Optional

Optional